sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Sobre as cidades e os livros

A ligação entre os termos não é nova nem inédita. Livros são percorridos e cidades são lidas a todo momento. E eis que chega um momento no qual nos perdemos: são tantas as cidades vividas, habitadas, sentidas, perdidas, sonhadas e são tantos os livros lidos, relidos, abandonados, evitados, absorvidos que nossos pés se transformam em mapas e nossos dedos em páginas. 
Disso pode surgir uma agonia e uma excitação. Aquela nos surpreende quando vemos o quanto ainda há por ler, sobretudo quando sabemos que a cidade que lemos hoje não é a mesma de ontem e nem de amanhã. A outra nos preenche pelo desejo inverso, a possibilidade de andar por novas ruas em estantes infindáveis de uma biblioteca, de um sebo, de um bairro.
O que se quer realizar aqui são pequenas construções, confrontos entre espaços e letras, tentativas de compreensão e, ordinariamente, de complicação...




Um comentário:

Georgianna disse...

Oi. Gostei do retorno do blog. Tenho uma foto parecida com a sua, tirada do mesmo lugar. Saudade de vcs! Beijo